Para coibir preços abusivos, Procon Boa Vista fiscaliza comércio

A ação conjunta visa coibir práticas abusivas no comércio e o descumprimento do decreto da prefeitura que determina o fechamento de estabelecimentos comerciais que não sejam de serviços essenciais

Em temos de crise causada pela pandemia de coronavírus no país, são constantes casos de denúncias envolvendo comércios que superfaturam valores de produtos essenciais. Por isso, o Procon Boa Vista iniciou nesta segunda-feira fiscalizações para coibir esse tipo de prática na capital, além de verificar se os comerciantes estão atendendo aos dispositivos do último decreto da Prefeitura de Boa Vista. 

A ação de fiscalização envolve parceria com a Guarda Civil Municipal, Secretaria Municipal de Planejamento e Finanças e Vigilância Sanitária. O decreto municipal determina o fechamento de estabelecimentos comerciais que não sejam de serviços essenciais. Mais de dez estabelecimentos, entre eles, oficinas de moto, salão de beleza, lojas de confecções e outros foram fechados.

Além disso, a equipe do Procon também atuou na fiscalização para coibir a prática de preços abusivos, principalmente, em itens de saúde e alimentícios. Na semana passada, o órgão notificou uma drogaria que estava vendendo alcool em gel por R$ 68, sendo que o preço médio varia entre R$8 e R$15.  

Aqueles que presenciarem qualquer ato abusivo por parte de comerciantes relacionado a produtos, é possível registrar denúncia de forma anônima através do e-mail do órgão procon@boavista.rr.gov.br ou pelos telefones: (95) 3625-2219, (95) 3625-2214, (95) 3625-3477 e (95) 3625-6201.



Postar um comentário

0 Comentários